Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Simple Life

Vida simples, felicidade plena. Esta é a historia das historias

Simple Life

Vida simples, felicidade plena. Esta é a historia das historias

Encontros e Desencontros do Amor

blog1.JPG

 

Encontros e desencontros do amor,

Encontros de historias, encontro de palavras, encontros do silencio que significam tanto barulho,encontros de vida,encontros porque nos encontramos. Desencontros...desencontros de uma vida, desencontros da luz, desencontros porque temos que nos desencontrar. Agora desencontros de amor, isso é muito mais difícil, porque os desencontros temos virar as costas, porque nos desencontros não nos conhecemos, porque nos desencontros nos desencontramos. Porque o amor, o amor é outra historia.

Hoje descobri, analisei, hoje vi, hoje tive, hoje percorri, hoje vivi, hoje sei, amanhã não sei.

Hoje descobrir a tristeza feliz. Tristeza feliz é a que só surge depois dos encontros verdadeiros, tão raros. Encontros verdadeiros são os que se realizam de ser para ser e não de inteligência para inteligência ou de interesse para interesse. Os encontros verdadeiros prescindem de palavras, eles realizam em cada pessoa, a parte delas que se sublimou, ficou pura, melhor, louca, mas a parte que responde a carências e às certezas anteriores aos fatos.

É mais fácil, para quem tem um encontro verdadeiro, acabar triste pela certeza da fluidez da felicidade vivida do que sair cantando a alegria da felicidade vivida ou trocada. Quem se alegra demais se distancia da felicidade. Felicidade está mais próxima da paz que da alegria, do silêncio do que da festa. Felicidade está perto da tristeza, porque a certeza da perda se instala a cada vez que estamos felizes.

Cada encontro está carregado de perda. Ou de perdas. Às vezes duas pessoas que se amam (amigos, casados, solteiros, viuvos, namorados...) se encontram e são felizes. Ao fim da felicidade, um deles chora. Ou fica triste. Ou baixa os olhos. Ou é invadido por uma inexplicável melancolia. É a perda que está escondida no deslumbramento de cada encontro.

O encontro humano é tão raro que mesmo quando ocorre, vem carregado de todas as experiências de desencontros anteriores.

Sim, tu que estás a ler ou a reler ou entender, a vida nos encarregou, a vida nos ensinou, ambos sofremos, ambos tivemos ou temos as nossas cruzes e iremos ter é sinal que estamos vivos é sinal nos rimos é sinal que choramos é sinal  amamos é sinal que estamos vivos.

Neste nosso encontro, olhei te, observei te, analisei te, falei e encontrei, e o teu olhar ainda é o teu olhar, o teu olhar ainda é o meu olhar e meu olhar ainda é a tua luz, o meu olhar ainda é a felicidade das tuas conquistas, o meu olhar é alegria da tua felicidade, o teu olhar é a minha paz, a paz que resolvemos, a paz que sei que tens, a paz que lutas te para encontrares, a paz que eu não soube te dar, a paz que ta tirei, a paz que te roubei.

Mas passando este anos, que parece que foi ontem o nosso desencontro mas não já uns aninhos, parece tudo igual, voltamos a ter 20 anos outra vez, voltamos a ter a mesma timidez, a mesma vergonha das palavras, a mesma conquista. Porquê que esta historia não quer acabar? porque que esta historia não é esquecida, porquê? é uma historia como as outras qualquer, quantas historias á por este mundo fora, quantas historias como a nossa. Um dia eu terei a resposta para já vamos vivendo um dia de cada vez. Porque a vida é assim e PONTO FINAL.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.